sábado, 12 de novembro de 2011

Ninguém suspeita, mas sou uma pessoa muito rica.

Costumo dizer que amigos são grandes obras de Deus -como, de fato, são- , que tem como intuito único só nos acompanhar. Mesmo que em certos momentos só cumpram o "papel" de estar do nosso lado -mesmo que não estejam fisicamente- , sem dizer nada, já é um alívio abundante na nossa dor.
Os verdadeiros nos aturam em dias felizes, tristes, chatos, em TPM, sufocados, estressados, agoniados. Ajudam-nos a operar aquela maldade, puxam nossas orelhas quando vêem algo de errado, e mesmo assim, quando nos fudemos, lá estão eles, não para dizer "Eu te avisei", mas sim para nos dar a mão, o ombro, o corpo todo -tudo que for necessário- para nos levantar do chão.
É amor, um laço, que temos convicção que não será quebrado

Hoje, em meio a tantos tumultos emocionais, coração repleto de band-aid, sorri um riso tão puro, feliz, meio descompassado, como há muito não dava.
A culpa é toda da Senhora Drª Sandy Luz. Toda!
Uma alma pura, extremamente linda, que me roubou o riso, e algumas lágrimas extras.
"Liguei antes que você se jogasse do Elevador Lacerda."
"Se cuida, viu? Amo, amo, amo, amo muito você."

-Meu anjo cor-de-rosa... Como eu te queria por perto.-


E como se eu não me contentasse em possuir pedras preciosas, tenho a honra de ter comigo, iluminando todos os meus dias. A princesa, com vocês, Binha Borges.
-Fala de Maria Gadú para Leandro Léo, adaptada.- Ela lerá isso, e dirá: "Mais é besta."
Eu, simplesmete, agradeço por me tirar todos os dias do fundo do poço, por me resgatar da lanterna dos afogados, e me fazer sorrir, me fazer viver.
Não sabe a força que me traz...

Por fim, agradeço a tantos vários outros.
Feliz sou eu em tê-los comigo!


PS.: Queria falar de todos, mas o post ficaria muito grande, e além de que, não disponho de tempo para
escrever.
Foi uma vontade repentina, que, se eu não vomitasse, me doeria. 


Por: Uilma Simões