sábado, 3 de setembro de 2011

Quem ela pensa que é?

“- Ela me paga, quem ela pensa que é? Me tratar desse jeito e achar que vai ficar por isso mesmo? Esta enganada. Se estiver pensando que vou chorar, ser amorosa e carinhosa e fingir que nada aconteceu, pode ir tirando seu cavalinho da chuva. Sou boazinha até certo momento, mas quando eu sou má... Sai de baixo.”


Normalmente quando estamos magoados ou simplesmente chateados com algo ou alguém, falamos esse tipo de coisa. Nossa reação é automática, e esquecer o que aconteceu não passa em nossa cabeça, e ainda batemos o pé afirmando que está fora de cogitação perdoar.  Queremos que tudo seja do nosso jeito, queremos corrigir o que esta errado (Isso ao nosso Ponto de vista), e não nos preocupamos se estamos nos mostrando orgulhosos ou egoístas, tratamos as pessoas com indiferença ou tentamos fazer com que ela enxergue que estamos certos e ela está absolutamente errada.
É interessante como nunca damos o braço a torcer, nunca admitimos o quanto somos orgulhosos. E isso não é uma coisa difícil de perceber, porque se trata de uma coisa que só enxergamos nos outros e nunca em nós, mas se analisarmos o motivo das nossas desavenças e problemas de relacionamento, notaremos que são bem parecidos com o que chamamos de ORGULHO, arrogância, prepotência, vaidade esnobismo e dentre outros adjetivos que não daria para mencionar aqui. Quando agimos com orgulho em relação aos problemas de relacionamentos, sejam eles com amigos, familiares, namorados ou até pessoas que malmente conhecemos, estamos tentando provar para essas pessoas o quanto somos IMPORTANTES. Quando uma amiga fala algo que não gostamos, ficamos chateados e até evitamos essa amiga, e tudo isso para mostrá-la que somos importantes e que não deve nos tratar assim. Quando o namorado faz alguma coisa que nos deixa triste, logo tratamos de fazer aquele biquinho atraente e aquela cara emburrada. O que precisamos ter, é auto – estima, não orgulho, e por vezes cometemos o erro de confundir esses dois sentimentos, o orgulho não resolve nada, não paga suas contas, não te dá novos amigos, não reata seu namoro, não faz com que seus familiares te achem legal, a auto- estima sim. Até porque, quando nos amamos, não permitimos que o orgulho nos obrigue a fazer o que não achamos legal ou não queremos, e por isso mantemos o controle mesmo que a situação não seja das melhores, e não ficamos tentando chamar a atenção de Deus e o mundo. Observa-se que uma pessoa que consegue controlar e contornar uma situação é admirada e elogiada, ela sobressai naturalmente, enquanto o oposto é constrangedor.
Fica a dica: Quando alguém te chatear, olhe nos olhos dessa pessoa e a trate normalmente, fazendo assim, ensinará bem mais do que se tivesse a evitado. Sei que é difícil, mas não é impossível, faça um esforço, tente, e se sentirá bem melhor.


Binha Borges

0 comentários:

Postar um comentário