sábado, 28 de maio de 2011

Ser amigo...


Você é amigo quando chega aquele momento em que você senta com seu (sua) digníssimo (a) amigo (a) e escuta seus problemas e às vezes até dá palpites, mas não os julgam. Já tive a oportunidade de fazer isso por várias vezes, e comprovei o que a maioria das pessoas já estão por saber, mas vez ou outra é bom observar, que tudo do lado de fora da situação é bem mais simples do que para quem está vivenciando o problema.
É fato, que falar e dá palpites do que você não esta vivendo parece ser simples, e chego a essa conclusão porque por várias vezes me peguei dando palpites e conselhos bobos para amigos e depois emendei com aquela famosa frase: É, sei que falar de fora é fácil”, mas no fundo é realmente fácil. Por outro lado demonstrar para seu amigo (a) que a situação não é tão complicada é bom, porque ajuda ele que está se sentindo no olho de um furacão a se sentir bem e vê que não é o fim do mundo, ainda que tal situação não se resolva. Outro dia lembrei-me de algumas coisas engraçadas que aconteciam em minha adolescência, lembrei que quando eu tinha uns 14 para 15 anos, achava que meus conselhos e palpites seriam capazes de mudar a vida de alguém, acha isso e acreditava piamente e ainda ficava chateada quando via que não tinha conseguido ajudar e mudar a vida de alguém com meus conselhos que na minha visão eram perfeitos. É bom às vezes ter esses momentos nostálgicos, porque a gente percebe que a maturidade muda nosso modo de ver as coisas. Mas, sabe o que eu gosto de verdade? É sentar com meus amigos e conversar, sem aquela visão que eu tinha na adolescência, sim... só conversar e dá palpites se eles quiserem , ou até ficar calada, mas sempre por perto e apoiá-los em qualquer situação e dizer que estou aqui para o que precisar...Sabe aquela coisa de na saúde ou na doença, na alegria ou na tristeza , na riqueza ou na pobreza , nas festas ou quando tem que estudar pra uma prova da faculdade , até que a morte os separem? É exatamente isso!
Aos meus queridos amigos que são poucos e cabem na minha mão e eu sei que posso contar com eles, digo que estou aqui e podem contar comigo para o que precisarem, não sei se vou conseguir ajudar, mas to aqui... pra qualquer coisa.

0 comentários:

Postar um comentário